contrato de serviço temporário

5 boas práticas para gestão de contrato de serviço temporário

Em momentos de aumento de demandas ou durante projetos internos, muitas empresas buscam aumentar o número de profissionais que atuam em seu ambiente corporativo. Uma das alternativas utilizadas é a busca por profissionais que trabalhem sob um contrato de serviço temporário. Essa opção torna mais fácil, para o negócio, enfrentar desafios e, assim, cumprir com os prazos.

Mas a formulação de um contrato de serviço temporário deve ser feita com cuidado. A empresa precisa estar atenta a diferentes fatores, de tal forma que seja possível reduzir ao máximo os riscos existentes. Assim, ficará mais fácil, para a empresa e para o contratado, ter a segurança necessária durante toda a prestação de serviços.

Quer saber mais sobre o tema e como fazer uma gestão de contrato de serviço temporário robusta? Então, continue a leitura do conteúdo!

O que é um contrato de serviço temporário?

O contrato de trabalho temporário é aquele que tem um prazo fixo para ser finalizado. Em geral, esse tempo pode ser de 180 dias (não necessariamente consecutivos). Caso necessário, ele pode ser prorrogado por até 90 dias.

Em alguns cenários, empresas podem intermediar a contratação de um profissional temporário. Essa companhia faz a análise das necessidades de seus parceiros e indica profissionais capacitados conforme as demandas. Dessa maneira, riscos e custos são reduzidos.

Quais são as normas que regem esse tipo de atividade?

O trabalhador temporário mantém um vínculo diferente do trabalhador contratado do modo tradicional. Ou seja, esse vínculo não é considerado o mesmo de um emprego formal. Por isso, os direitos e os encargos trabalhistas são diferenciados para esse modelo.

O trabalhador temporário deve ter acesso aos mesmos recursos dos colaboradores fixos. Ou seja, a empresa deve disponibilizar, também, refeitórios, vestiários, equipamentos de proteção individual e treinamento semelhante. Desse modo, as rotinas poderão ser executadas com mais qualidade e sem erros.

O contratante deve ser responsável por garantir que o profissional temporário, em outras palavras, possa executar as suas rotinas com segurança e qualidade. Isso vale para todas as rotinas e os processos, como aqueles que passam pela distribuição de tarefas, as políticas de gestão de facilities e, até mesmo, os uniformes.

Há um cenário, porém, em que não é permitida a contratação de pessoas temporariamente. Quando a sua equipe faz uma greve, o negócio não tem o direito de contratar trabalhadores temporários. Há algumas exceções, no entanto, que podem ser conferidas na Lei nº 13.429/2017.

Como fazer a gestão de contratos temporários?

Para realizar uma boa gestão de contratos temporários, algumas estratégias podem ser incorporadas ao dia a dia do gestor. Confira abaixo as principais!

1. Faça pagamentos e acordos conforme as leis trabalhistas nacionais

O trabalhador temporário tem acesso a vários direitos de um trabalhador fixo. Esse é o caso do vale-transporte, do pagamento de horas extras e da jornada de trabalho com 8 horas de duração. Porém, no encerramento de um contrato de trabalho temporário, algumas regras são específicas desse modelo. São elas:

  • o seguro-desemprego é vetado a esse modelo de contrato;
  • o profissional temporário não tem direito a aviso prévio;
  • o décimo terceiro e as férias devem ser pagos proporcionalmente;
  • o abono é aplicável apenas para quem tem cadastro no PIS/PASEP feito há, pelo menos, 5 anos;
  • não há multa de 40% em caso de encerramento do contrato.

2. Controle prazos

Para ter uma boa gestão de qualquer tipo de contrato, saber manter prazos em dia é fundamental. Por isso, faça o controle deles de modo inteligente. Evite manter profissionais além dos prazos de seus contratos e faça alertas, caso precise expandi-los.

3. Faça avaliações regulares sobre a qualidade dos serviços prestados

Caso exista a possibilidade de realizar um contrato permanente após o fim do contrato temporário, não deixe de avaliar a qualidade do serviço prestado. Com o apoio de indicadores e de soluções de gestão, verifique se as equipes desenvolvem as suas rotinas corretamente. Desse modo, você poderá identificar quais pessoas apresentam o melhor desempenho com precisão.

4. Elabore relatórios para identificar tendências e pontos que podem ser otimizados

Durante a gestão dos contratos temporários, relatórios podem ser elaborados para centralizar os dados sobre a qualidade do trabalho das equipes. Esses documentos precisam ser feitos regularmente e considerando todas as rotinas em que os profissionais estão envolvidos. Desse modo, você poderá identificar facilmente problemas nas rotinas e boas práticas que possam ser replicadas.

5. Conte com a tecnologia

A tecnologia pode ter um papel-chave para ajudar a empresa a aproveitar ao máximo os seus contratos temporários. O uso de contratos digitais, por exemplo, reduz erros na troca de informações e a necessidade de utilizar papel. Assinados digitalmente, eles mantêm a sua validade legal, são mais seguros, necessitam de menos espaço para armazenamento e podem ser compartilhados com menos riscos.

Já as ferramentas de distribuição de rotinas tornam a gestão da equipe mais prática. Haverá um aplicativo centralizado para identificar demandas pendentes, indicadores de qualidade e o que deve ser feito primeiro. Ou seja, você conseguirá monitorar facilmente o desempenho dos profissionais e avaliar quem tem os melhores resultados, se mantém aderente a prazos e é mais produtivo.

Os sistemas de gestão integrada podem manter fluxos de trabalho com a flexibilidade necessária para o ambiente moderno. Alertas de datas de pagamentos, prazos de renovação e outros detalhes sobre as demandas se tornam mais fáceis de ser monitorados. Desse modo, a companhia garante a aderência a prazos e tem a certeza de que tudo será entregue rapidamente.

As demandas de uma empresa podem mudar rapidamente. Nas horas em que há a necessidade de aumentar a equipe, uma abordagem que pode ser adotada é a contratação temporária de profissionais. Essa alternativa, junto à terceirização, facilita a expansão da equipe e evita que a companhia tenha dificuldades para atender aos seus prazos.

Para atingir os melhores resultados possíveis, a gestão de contratos temporários deve sempre ser empregada. Com ela, o negócio pode reduzir riscos e dar mais segurança para ambas as partes. Além disso, mensurar resultados e planejar rotinas será algo mais simples e preciso.

Por isso, sempre busque fazer uma boa gestão de cada contrato de serviço temporário. Isso reduzirá riscos e prejuízos. Além disso, garantirá que a empresa terá meios para atingir os seus objetivos e conseguir um alto retorno sobre os seus investimentos.

Gostou do nosso post? Então, veja, no nosso blog, como a tecnologia pode ser utilizada para otimizar a gestão de equipes!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.